quarta-feira, 10 de maio de 2017

Meditar

Olá, hoje escrevo para si, que se sente triste e não sabe porquê, pois é, acontece mais vezes do que  pensa. Há dias assim que parecem intermináveis, tudo acontece e nem sempre são coisas boas, pois, mas há que mudar isso, o dia pode ter começado menos bem, mas não tem que acabar assim,  a mudança está em si, dentro do seu coração, olhe para dentro de si e tente perceber o que o incomoda e o deixa triste.
Aí em sua casa, ou onde estiver, procure um sitio calmo, com pouca luz, ponha uma musica a tocar, bem suave,  acenda uma vela se quiser, sente-se como se sentir mais confortável, sempre com as costas direitas, ou então deite-se, faça como quiser,  como se sentir melhor. Deixe o corpo relaxar, respire fundo, inspire e expire,  muito devagar, faça isso durante alguns minutos.
Feche os olhos,  e visualize que está de pé,  no cimo de uma colina, o vento leve brinca com a sua roupa,  acaricia o seu rosto,é você, o céu, a terra, o ar, e o murmuro da água lá ao longe, sente-se leve, sente-se bem. Olha até onde a vista alcança,  e o que vê,  deixa-o (a) completamente deslumbrado (a).
O seu olhar estende-se por aquele campo imenso,  repleto de flores, cada uma,  mais bonita do que a outra, aconchegadas por um manto verde, salpicado pelas gotas de água,  que brotam daquelas pedras,  formando uma catarata, que a cada segundo,  desmaia no leito do ribeiro,  que corre indiferente,  a tudo o que o rodeia.
As flores são lindas,  apetece-lhe vê-las, tocar-lhes, para isso precisa chegar mais perto. Começa então a descer devagar, muito devagar, tira os sapatos, e os seus pés descalços, pisam aquele manto verde que parece não ter fim. É tão macio, tão bom, começa então,  a sentir a energia da terra , apetece-lhe deitar,e rebolar , e é isso que faz, rebola por ali até se cansar, sente-se livre sente-se bem, por fim pára e fica deitada,  com os braços e as pernas afastadas, olhando o céu azul repleto de nuvens brancas, que parecem algodão. Ao longe o sol começa a esconder-se com a sua cor alaranjada do fim de tarde, é lindo, e pensa... Como é bom estar vivo(a) e como se sente grato(a) por isso. O cheiro das flores e o murmuro  da água fazem-no (a) relaxar, respira profundamente ao perceber que a tristeza passou,  relaxa e sorri feliz.
A vida é assim...Simples...Fluída...Pronta para ser vivida. 
Amor e  luz.